...

Tum, tum, tum!
Sim, se a vida cerra uma porta,

a poesia acende um clarão.
Há que dizer não, não importa.

Faz tum, tum, tum, coração.